Como funciona o plano familiar em serviços de saúde?

Publicado em 23 de dezembro de 2020

Uma das buscas mais comuns de quem quer um serviço de saúde é ter boas condições de atendimento para toda a família. Afinal, quando amamos alguém, queremos o melhor para essa pessoa, não é mesmo? Por isso, existe o plano familiar, que proporciona valores um pouco mais em conta para quem precisa arcar com as despesas de saúde de várias pessoas. 

A forma como essa modalidade funciona pode variar muito dependendo de qual empresa fornece o serviço. Por exemplo, algumas organizações impõem restrições sobre quem pode ser considerado ou não família. 

Para você não errar na hora de fazer essa escolha, explicamos tudo sobre os planos familiares neste artigo. Confira! 

Qual é a diferença entre um plano individual, coletivo ou familiar? 

A principal diferença entre essas modalidades de serviço é o tipo de contratação e a possibilidade de inclusão de dependentes. Em um plano individual, o contrato é feito apenas entre o titular e a prestadora dos serviços. Ou seja, não há como outras pessoas aproveitarem o benefício. 

Já em um plano coletivo, a contratação é feita por uma organização. Esse contratante será responsável por definir se há ou não a possibilidade de inclusão de dependentes. Além disso, a empresa pode não oferecer aos dependentes a mesma cobertura que existe para os custos do titular. Você pode conferir o que avaliar na hora de contratar um plano coletivo.  

Por fim, o plano familiar é contratado por uma pessoa física e há possibilidade de inclusão de dependentes. Nesses casos, todos os integrantes da família possuem a mesma cobertura. Só o custo da mensalidade que pode variar de acordo com a faixa etária de cada indivíduo. 

Criança no colo da mãe consultando com o médico pelo plano familiar
A faixa etária dos integrantes do plano familiar interfere no preço da mensalidade. 

Quais serviços o plano familiar dá acesso? 

Assim como em planos individuais e coletivos, não são todos os serviços de saúde que são cobertos por planos familiares. É preciso ficar muito atento à rede credenciada e ao tipo do plano. Atendimentos com especialistas, como psicólogos e fisioterapeutas, podem não estar inclusos. 

Como a cobertura de um plano de saúde familiar é a mesma para todos os integrantes da família, é preciso ficar atento às necessidades de todos na hora de escolher o serviço. Por isso, também é essencial estar ciente de qual é o orçamento da família. Caso um membro precise de serviços muito específicos, pode valer a pena contratar um plano individual separadamente. 

O mesmo vale para a escolha de um plano com ou sem coparticipação. Afinal, os planos sem coparticipação podem ser vantajosos para um membro da família que precise fazer procedimentos com muita frequência. Porém, adotá-lo para todos pode gerar despesas desnecessárias. 

Casal pesquisando na internet e fazendo anotações sobre o melhor plano familiar.
Existem serviços de saúde que não possuem restrições de vínculo familiar para a adesão.  

Quem pode ser incluído como dependente? 

No caso dos planos de saúde familiares, muitas vezes, apenas cônjuges e filhos (as) menores de 21 anos podem ser incluídos como dependentes. Em alguns casos, até é possível incluir parentes como pais, irmãos, tios e avós, mas sempre mediante a uma comprovação de parentesco. 

No entanto, há outros tipos de serviço que proporcionam acesso à saúde sem restrições ou a burocracia de provar o vínculo familiar com aquela pessoa. Quer saber mais? Então, confira o nosso artigo sobre alternativas aos planos de saúde

Compartilhar

Assine a Newsletter

Fique por dentro dos nossos serviços e receba informações sobre cuidados com a saúde.