Tem diabetes tipo II? Conheça 5 hábitos para você abandonar

Publicado em 30 de outubro de 2019

Lidar diariamente com o diabetes tipo II requer cuidado total por parte das pessoas que o carregam silenciosamente no corpo. É preciso estar atento à alimentação, à prática de exercícios físicos e até mesmo ao sono. Ficar de olho aberto para esses e vários outros cuidados, a chance de negligenciá-los também pode ser maior.

Quando uma pessoa com diabetes tipo II ignora maus hábitos, algumas complicações podem surgir, como: danos nos rins e nervos. Por conta desses motivos que o cuidado redobrado é crucial, pois evitará deslizes que acabam transformando a rotina do portador.

Hoje abordaremos 5 hábitos para abandonar, a fim de controlar da melhor maneira possível o diabetes tipo II. Vamos lá?

Detalhes importantes sobre o diabetes tipo II

As pessoas portadoras do diabetes tipo II podem, sim, possuir insulina em seus corpos, mas não o suficiente para o controle adequado do açúcar no sangue. Pode ocorrer também de o corpo não conseguir usar a insulina adequadamente. Como resultado, os níveis de açúcar no sangue podem ficar muito altos.

Normalmente adultos são diagnosticados com o diabetes tipo II, mas as crianças também podem. Certos fatores aumentam o risco de uma pessoa ter diabetes tipo II, incluindo:

  • Obesidade;
  • Idosos;
  • Histórico familiar de diabetes;
  • Falta de exercício;
  • Problemas com o metabolismo da glicose;

1 – Beber líquidos com grandes concentrações de açúcar

Ter em mãos uma bebida que contenha açúcar é uma maneira infalível de causar estragos em seu nível de glicose. Uma lata de refrigerante contém 40g de carboidratos, 1 copo de 500ml de suco contém 10c de chá de açúcar.

Essas quantidades perigosas não só aumentam os níveis de açúcar no sangue, mas também podem desencadear o aumento de peso. Levando você a desenvolver resistência à insulina e a outros problemas de saúde relacionados ao diabetes. Adoçantes artificiais também são extremamente prejudiciais, uma vez que podem aumentar o desejo por alimentos e bebidas açucaradas.

Dica: evite escolher bebidas doces em excesso, prefira água, chás gelados sem açúcar ou outras bebidas esportivas e energéticas.

2 – Ser 100% dependente da insulina

Ter insulina disponível não significa que você possa comer um litro de sorvete ou abusar dos pães. Mesmo que você possua níveis de açúcar no sangue considerados “normais” pode ter um aumento da probabilidade de ter complicações diabéticas.

Se você comer um pedaço de bolo, acreditando que depois basta utilizar a insulina, o nível de açúcar vai aumentar. Se você negligência os hábitos saudáveis, a chance de ter complicações nos rins e nos olhos só aumentam.

Dica: o ideal aqui é conversar com um médico de sua confiança, a fim de determinar uma rotina com a insulina, praticando o auto monitoramento. Dessa forma você poderá desfrutar daquele apetitoso pedaço de bolo, de vez em quando e sem exageros.

3 – Muito cuidado com a quantidade de carboidratos 

Os carboidratos são muito comuns entre os atletas e praticantes de atividades físicas. Consumir alimentos como macarrão e pães fornece energia extra para que possam competir ou ter bom desempenho em longos treinos. O exercício físico é uma ótima maneira de gerenciar esses níveis, mas o consumo de carboidratos antes de um treino não é a melhor prática, caso você seja portador do diabetes tipo II.

Muitos médicos defendem a ideia de que as mulheres nunca devem ultrapassar 3 fontes de carboidratos por refeição, sendo apenas uma opção para os lanches. Já para os homens o ideal para o consumo é de 4 a 5 carboidratos por refeição, incluindo os lanches. Em contrapartida, os médicos costumam recomendar uma proteína como o peito de frango magro, a fim de estabilizar o açúcar no sangue, antes mesmo do treino.

Dica: é recomendado verificar os números antes e depois da realização dos exercícios. Assim você entende melhor quais são os seus efeitos sobre a glicose.

 4 – Esquecer ou negligenciar os horários das refeições

Pular as refeições que você precisa fazer durante o dia não é uma prática nada saudável. Seja por conta de reuniões no trabalho, excesso de tarefas ou quaisquer outros problemas que o dia a dia pode acarretar, fica muito fácil pular o café da manhã ou mesmo o almoço. No entanto, se você é portador de diabetes tipo II, isso pode ser um fator-chave para desencadear problemas de saúde.

Todo diabético precisa manter um determinado nível de açúcar no sangue. Por isso, se você estiver tentando mantê-lo entre 120 e 130, não vai querer pular as refeições importantes e fazer com que esse nível caia, certo?

Dica: queijo de corda, nozes ou até mesmo uma pequena maçã podem ser consumidos nos intervalos das refeições. Por exemplo, se você costuma tomar o café da manhã às 08:00, quando o relógio marcar 10:00 já será um bom horário para fazer o seu primeiro lanche. Depois basta fazer um lanche entre o almoço e o jantar e também outro antes de dormir.

 5 – Dar aquela beliscada no meio da madrugada

Dar aquela espiada na geladeira pouco tempo depois do jantar, pode até não ser uma má ideia, quando se trata de pessoas com diabetes tipo II. Isso pode evitar a hipoglicemia durante o sono, mas lembre-se de que é preciso fazer escolhas inteligentes, hein? Lanches não saudáveis podem levar ao ganho de peso, e comer muito tarde da noite pode elevar os níveis de açúcar no sangue na manhã seguinte.

Caso você queira dar aquela passadinha na geladeira tarde da noite, opte por um pedaço de fruta com queijo cottage ou manteiga de amendoim. Isso ajudará você a se sentir satisfeito, fornecerá proteína e também manterá seus níveis de exame A1C em uma faixa saudável.

Dica: o recomendado aqui é que o último lanche seja feito algumas horas antes de ir para a cama, preferencialmente de 1 a 2 horas antes de se deitar.

Quer saber mais sobre como ter uma alimentação saudável? Confira o nosso post completo sobre o assunto!

Compartilhar

Assine a Newsletter

Fique por dentro dos nossos serviços e receba informações sobre cuidados com a saúde.