Ginástica laboral: o que é e como praticar

Publicado em 9 de dezembro de 2020

Vencer o sedentarismo é um dos maiores desafios para quem quer ter mais qualidade de vida. Segundo uma pesquisa do Ministério da Saúde, cerca de 20% dos brasileiros estão obesos e 13,9% estão sedentários. Um dos caminhos para reverter esses números é a prática de ginástica laboral. 

Principalmente para quem está em um escritório ou de home office, é comum passar diversas horas por dia sentado. Nesses casos, digitação e uso do mouse são as atividades mais frequentes. Já para pessoas com outros tipos de trabalho, pode haver diferentes problemas, como ficar muitas horas de pé ou fazer movimentos repetitivos.  

Tudo isso pode prejudicar o corpo e causar dores, que levam a afastamentos, quedas de produtividade e falta de motivação. Porém, com exercícios de ginástica laboral, a empresa pode proporcionar muito mais bem-estar aos seus colaboradores. 

Quer saber mais? Continue a leitura! 

O que é ginástica laboral? 

A ginástica laboral consiste em um conjunto de exercícios recomendados para reduzir o impacto do trabalho sobre o corpo dos colaboradores. Geralmente, são atividades físicas leves com curta duração, que podem ser praticadas mesmo em espaços menores. 

Esse tipo de exercício surgiu na Polônia durante a primeira metade do século XX. Desde então, a modalidade se difundiu por diversos países, inclusive o Brasil. Na maioria dos casos, um educador físico pensa um conjunto de atividades para atender à rotina de cada ambiente.

Colaboradores praticando ginástica laboral em um escritório.
Legenda: Como em um local de trabalho tem pessoas com diferentes graus de habilidade, é preciso se adaptar às capacidades de cada uma delas.

Conheça 5 dos principais benefícios 

  • Redução do cansaço: os exercícios da ginástica laboral aumentam a disposição do colaborador para a sua jornada e podem até mesmo contribuir para o aumento da concentração. Ao longo do tempo, também há tanto um fortalecimento dos músculos quanto uma melhora na circulação, o que proporciona mais bem-estar em pequenas atividades do dia a dia, como caminhar ou subir escadas. 
  • Prevenção de doenças: tendinite, lesão por esforço repetitivo (LER) e distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT) são 3 problemas muito comuns que podem ser evitados com a ginástica laboral. Além disso, ao quebrar com o sedentarismo, há também uma redução dos riscos de problemas cardiorrespiratórios, diabetes e diversos outros problemas. 
  • Melhora do clima organizacional: ter algumas pausas no dia pode reduzir bastante o estresse dentro da organização. A ginástica laboral também pode se tornar um momento para descontração, o que ajuda a integrar melhor as equipes.  
  • Adoção de uma postura correta: um dos pontos trabalhados pelos exercícios é a melhora da postura, tanto para quem fica em pé, quanto para quem trabalha sentado. Ao trabalhar na posição correta, os colaboradores reduzem as queixas com relação a dores e desconforto. 
  • Aumento da produtividade: com um ambiente mais leve e confortável, as pessoas conseguem dar o melhor de si em suas atividades. Além disso, a pausa pode reduzir a sensação de cansaço da rotina, o que proporciona mais concentração e promove mais dedicação às tarefas. 

Como praticar a ginástica laboral? 

Na hora de implantar a ginástica laboral no local de trabalho, busque um preparador físico especializado. Esse profissional poderá fazer um estudo sobre a sua empresa para entender a fundo as necessidades dos seus colaboradores. Em alguns tipos de ambiente, esse trabalho estará muito ligado a identificar riscos e estimular a prevenção de acidentes, por exemplo. 

Para aplicar essa modalidade de exercício, é preciso reservar intervalos de 5 a 10 min na rotina das equipes. O ideal é que isso ocorra mais de uma vez ao dia, mas também é possível implementar a prática de uma maneira mais esporádica: uma ou duas vezes por semana, por exemplo.  

Mulher praticando automassagem.
Legenda: É possível incorporar aulas de automassagem à prática de ginástica laboral.

Há dois momentos que são mais oportunos para isso. O primeiro é logo no início do dia, com exercícios preparatórios (de coordenação, equilíbrio e concentração), que ajudam o colaborador a se preparar para o dia de trabalho. O outro é durante a jornada, no meio da tarde, por exemplo, quando se pode fazer exercícios compensatórios, de correção de postura e flexibilidade. 

Para ir além na hora de promover o bem-estar, algumas empresas também realizam exercícios de relaxamento ao final do dia. O objetivo é aliviar a tensão e se preparar para o momento de descanso. Aqui, valem práticas como atividades de respiração, meditação e alongamentos. 

Gostou de saber mais sobre ginástica corporal? Essa modalidade é apenas uma das diversas iniciativas que podem melhorar a saúde do seu colaborador. Conheça outras no nosso post sobre saúde ocupacional

Compartilhar

Assine a Newsletter

Fique por dentro dos nossos serviços e receba informações sobre cuidados com a saúde.