Insônia: conheça causas e sintomas

Publicado em 11 de julho de 2018

Noites em claro, mente inquieta, irritabilidade, a insônia é um mal que causa muitos outros males. Esse distúrbio do sono é definido pela dificuldade em adormecer e manter o sono, um transtorno extremamente comum, podendo afetar, em média, 1 em cada 5 pessoas em todo o mundo.

Se com uma grande frequência você costuma se deitar e levar mais de 30 minutos para adormecer, acorda várias vezes durante a madrugada e tem dificuldades para voltar a dormir, você pode sofrer com esse mal. Neste texto vamos falar um pouco mais sobre esse distúrbio, mas já reforçamos a importância em consultar um médico em caso de suspeita de insônia.

Tipos de insônia

A insônia se manifesta de maneiras diferentes e por motivos diferentes, ela pode ser classificada de acordo com o tempo de duração ou a frequência:

  • Transiente: Dura apenas alguns dias e pode chegar a até 3 semanas;
  • Crônica: Também chamada de longa duração, a insônia crônica é aquela que dura mais de 3 semanas;
  • Intermitente: É o tipo de insônia de curta duração que ocorre de tempos em tempos. Entre esses tempos, há períodos de sono regular e revigorante.

Ou pode ser classificada de acordo com a causa:

  • Primária: Quando não há nenhuma doença causando a insônia — ela acontece por si só;
  • Secundária: Quando a insônia é sintoma de alguma condição médica, distúrbio mental ou efeito colateral de alguma droga.

Possíveis causas

As causas que levam à insônia são muitas, mas sem dúvida uma das principais é o estresse. Situações de tensão no trabalho, pressão nos estudos, exaustão em temas financeiros, todos esses tipos de eventos externos que alteram nosso estado de equilíbrio do organismo podem ser considerados como estresse.

Outro fator muito importante é o lugar e as condições em que você dorme. Para conseguir ter uma boa noite de sono, em primeiro lugar é fundamental deitar em um lugar confortável e que favoreça uma boa postura, em segundo lugar as condições ideais são: silêncio e escuridão. A presença de luz atrapalha a produção de melatonina (substância conhecida como hormônio do sono), além disso barulhos são estímulos que chamam a atenção do cérebro impedindo-o de descansar.

O estilo de vida também tem peso nesse assunto. Trabalhar em turnos que variam constantemente e não permitem horários de sono regulares pode ser um fator que aumenta o risco de insônia.

Transtornos mentais podem causar insônia crônica, pois podem influenciar causando disfunções na química cerebral. Como é o caso da depressão, que pode diminuir a produção de um neurotransmissor chamado serotonina e com isso desregular o humor e o sono.

Condições médicas variadas também fazem parte dessa lista:

  • Transtornos neurológicos – traumatismos cranioencefálicos, demência, mal de Parkinson, mal de Alzheimer;
  • Transtornos hormonais – hipertireoidismo, menopausa, TPM;
  • Problemas respiratórios – apneia do sono, asma e DPOC;
  • Dores crônicas;
  • Problemas gastrointestinais;
  • Dentre outros.

Medicamentos e substâncias não podiam ficar de fora, em geral, eles são estimulantes do sistema nervoso central (como antidepressivos, cafeína, nicotina, anfetaminas, metanfetaminas), mas a abstinência de substâncias depressoras (como álcool, nicotina, benzodiazepínicos, antipsicóticos, opióides e anticonvulsivantes) em um organismo dependente também podem causar insônia.

homem com insonia sentado na cama

Para saber com precisão se você sofre de insônia, quais as causas do eu transtorno e qual o tratamento indicado para você, procure um profissional e marque uma consulta. Cuidar do seu tempo de sono é cuidar também do seu tempo desperto, acorde para sua saúde e durma bem!

Compartilhar

Assine a Newsletter

Fique por dentro dos nossos serviços e receba informações sobre cuidados com a saúde.